Sociedade Brasileira de Autoimunidade | SOBRAU  >  Público Leigo (Page 3)

Gravidez e doenças reumáticas

A gravidez é um estado fisiológico muito interessante. O sistema imune do feto em desenvolvimento é programado para reconhecer a si próprio, assim como o oposto, o que não pertencer a si próprio, tanto que o bebê pode proteger seu corpo de um ambiente hostil, uma ameaça de infecção bacteriana e outros estímulos nocivos. A mulher grávida, contudo, permite que o que não faz parte do seu eu invada o seu organismo. O feto se desenvolve e o seu crescimento é tolerado pela mãe, embora 50% do feto venha do pai e deveria, portanto, ser reconhecido como não fazendo parte da própria mãe. A metade do nenê deveria em princípio ser atacado e rejeitado pelo organismo da mãe. A mãe não toleraria um enxerto de rim do pai da criança passivamente!

Lúpus, beleza e autoestima

pleigo

Por Vivian Magalhães

Vivian Magalhães é professora e jornalista, além de mãe da Fernanda, diagnosticada com lúpus aos 13 anos de idade. Escreveu o livro “Domando o Lobo: sim, é possível viver uma vida plena com Lúpus Eritematoso Sistêmico”, disponível para download gratuito pela página http://conteudo.bookess.com/domando-o-lobo.

Lúpus, todos sabem, é uma doença imprevisível que pode se manifestar de maneiras diferentes, inclusive num único paciente. Como é episódica, períodos de exacerbação da doença tendem a ser intercalados por fases assintomáticas, ou pelo menos mais calmas, mas os cuidados têm que ser tomados inclusive quando a sensação de normalidade parece fazer o tempo retroceder até o tempo em que lúpus não fazia parte do vocabulário habitual e nem da rotina.

Pesquisadores encontram o elo perdido entre o cérebro e o sistema imunológico

pleigo
Escola de Medicina da Universidade da Virgínia (UVA)

Em uma descoberta impressionante que derruba décadas de ensino em livros didáticos, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade da Virgínia (UVA) descobriram que o cérebro está diretamente ligado ao sistema imunológico por vasos que previamente se pensava não existirem. O fato de tais vasos não terem sido detectados antes, apesar do sistema linfático de todo o corpo já ter sido completamente mapeado, é surpreendente por si só, mas o verdadeiro significado da descoberta reside nos efeitos que ela poderia ter sobre o estudo e tratamento de doenças neurológicas, que vão do autismo à doença de Alzheimer e à esclerose múltipla.

O que é Reumatismo

pleigo
Reumatismo é um termo impreciso que inclui problemas com as juntas, mas também algumas condições que afetam os músculos e o esqueleto, caracterizadas por dor e dificuldade de movimento. Nem sempre a dor reumática tem causa definida. Quando é possível definir a causa é dado um nome específico à doença.

Doença inflamatória intestinal: autoimunidade, artrites associadas e exames de laboratório

Retocolite ulcerativa. É uma doença inflamatória de causa desconhecida caracterizada por diarréia com muco e sangue que ocorre dos 20 aos 40 anos de idade e atinge o cólon. As manifestações articulares ocorrem em alguns pacientes (em torno de 15%) atingindo tanto homens quanto mulheres. A artrite costuma ser migratória e atingir uma ou poucas juntas, especialmente os membros inferiores. Alguns pacientes podem ter artrite antes da doença intestinal aparecer, mas na maioria das vezes a artrite ocorrequando há piora da diarréia. Os exames laboratoriais são inespecíficos, por isso o diagnóstico diferencial é difícil. O gastroenterologista deve ser consultado para fazer exame do intestino grosso e biópsia.

Artrite Reumatóide

É o mais comum tipo de artrite inflamatória, chamada também de doença reumatóide para enfatizar sua natureza generalizada: pode envolver não apenas as juntas, mas também vários outros órgãos internos: olhos, coração, pulmão, vasos sangüíneos, pele, músculos e nervos. Muitos pacientes não desenvolvem complicações orgânicas e podem manejar com mais tranquilidade a doença.

Artrite Psoriásica

Definição. Classicamente define-se artrite psoriásica como uma artropatia inflamatória associada à psoríase cutânea, com habitual negatividade do fator reumatóide. O primeiro relato da associação entre psoríase cutânea e artrite remonta a 1822 pelo francês Jean Louis Alibert. Seguiram-se inúmeras publicações sobre esta associação, inclusive aquelas mostrando concomitância entre artrite reumatóide e psoríase, algo plausível em se tratando de duas doenças comuns. O conceito de artrite psoriásica como uma entidade clínica distinta recebeu maior suporte após os estudos de Wright a partir de sua publicação em 1956. Esta noção ainda não é aceita por alguns autores, os quais sugerem que a psoríase apenas amplifica a resposta a uma artrite de outra etiologia como por exemplo a artrite reumatóide ou espondilite anquilosante. Várias evidências, no entanto, se contrapõem a estas afirmações, como por exemplo as descrições de AP severa em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida.