Sociedade Brasileira de Autoimunidade | SOBRAU  >  Público Leigo (Page 2)

A Espondilite Anquilosante (EA) e as Terapias Biológicas

A Espondilite Anquilosante é doença reumática inflamatória que atinge a coluna vertebral em especial, sendo considerada crônica e progressiva, pois pode evoluir com rigidez e limitação funcional do eixo axial. Como toda inflamação crônica, esta é uma doença que cursa com dor ao longo da vida, merecendo por isso uma abordagem global de atendimento com vistas a cobrir todas as necessidades que se apresentarem para melhorar a qualidade de vida. 

As artrites da infância

Dra. Maria Mercedes Picarelli, reumatologista pediátrica

Doenças reumáticas são desordens que envolvem vários sistemas do corpo humano e representam manifestações clínicas de inflamação aguda e crônica do tecido conjuntivo, do sistema músculo esquelético, vasos sanguíneos e pele. Variam desde artrite limitada a uma articulação a inflamação generalizada de articulações, pele, vasos sanguíneos e órgãos diversos como olho, pulmão, cérebro e medula óssea.

DIREITOS DOS PORTADORES DE ESPONDILITE ANQUILOSANTE – uma abordagem prática

A Constituição Federal de 1988, conhecida como a Constituição Cidadã, trouxe em seus pilares principais alguns princípios chamados fundamentais (art. 1o. ao 4o), entre os quais está assentado e protegido o direito à dignidade da pessoa humana. Dentro deste conceito está inserido o direito à saúde. É neste contexto que os portadores de espondilite anquilosante espondilite anquilosante encontram suas garantias, na medida em que passa a ser um dever do Estado garantir a saúde a todos os brasileiros, em igualdade de condições.

ESPONDILITE ANQUILOSANTE E AS ESPONDILOARTRITES

Introdução

Em torno de 80% da população mundial teve, tem ou terá dor lombar durante a vida, revelando com isso o grave impacto das doenças da coluna, somado a uma porção de desinformação e má abordagem (inclusive técnica) sobre o tema. Se considerarmos o aumento significativo da participação da população com mais de 60 anos na sociedade (que dobrou em números absolutos nos últimos 50 anos) por força de uma medicina de melhor qualidade e também por uma mudança de estilo de vida, ao falarmos de coluna esse cenário ganha ainda maior importância.

Aspectos emocionais nas Espondiloartropatias

Um dos fatores importantes a serem levados em consideração quando um paciente é diagnosticado com uma doença autoimune, crônica e degenerativa com curso de dor, como é a ESPONDILITE ANQUILOSANTE é atentar para a parte psico-emocional dos doentes, já que podem ser devastadores os efeitos emocionais que este reumatismo provoca.

Embora não seja uma doença considerada curável, os tratamentos disponíveis, quando aplicados adequada e precocemente, oferecem alívio da sintomatologia (inflamação e dor), interrompendo a progressão danosa da moléstia. Assim, há melhora na qualidade de vida global, tornando a vida quase normal quando eficientes os tratamentos.

Entrevista Dr. Carlos Alberto von Mühlen – Síndrome de Sjögren, uma doença em evolução

ENTREVISTA ESPECIAL

Síndrome de Sjögren, uma doença em evolução

Síndrome de Sjögren, que impede funcionamento das glândulas salivares e lacrimais, atinge até 2% da população mundial.

Pouco conhecida, porém não é rara. Assim pode ser considerada a doença crônica reumatológica autoimune denominada Síndrome de Sjögren. Conforme definição da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), esta é uma doença em que o sistema imunológico do paciente erroneamente ataca as glândulas produtoras de lágrimas e saliva. E, apesar da estimativa de que quatro milhões de norte-americanos sejam portadores desta enfermidade, a maioria não tem diagnóstico. Já no Brasil, não se sabe o número exato de doentes.

Lúpus Eritematoso Sistêmico, um lobo a enjaular

Enfermidade que tem como característica lesões cutâneas de cor avermelhada, pode atingir a pele ou outros órgãos do corpo humano.

O LES (Lúpus Eritematoso Sistêmico), ou simplesmente Lúpus (de lobo, pelas manchas na face) é uma doença inflamatória crônica de causa desconhecida. Não sendo contagiosa ou infecciosa, até o momento os cientistas ignoram como o sistema imune trabalha de forma incorreta para trazer as manifestações clínicas da enfermidade. Com um número cada vez maior de casos no Brasil, a doença lúpica vem preocupando de forma crescente a pesquisadores, médicos e pacientes.